Inovação é coisa de empresa grande. Será?

Inovação-é-coisa-de-empresa-grande.-Será-

 

 

A lista das 10 empresas mais inovadoras do mundo, segundo a conceituada revista americana Forbes, coloca no topo da inovação grandes corporações como a Salesforce.com, a Apple, a Google e até a brasileira Natura. Esse ranking pode fazer você pensar que inovação é coisa de empresa grande. Será?

No artigo de hoje convido você para uma reflexão e, principalmente, para uma mudança de percepção. Você está disposto a superar este mito de que a inovação não pode estar inserida na rotina de pequenas empresas? Está disposto a permitir novas experiências em seu negócio?

Muitas vezes utilizamos a palavra mito para nos referirmos às crenças comuns. É como aquela velha história: uma mentira contada muitas vezes pode se tornar uma verdade. E é justamente este imaginário que queremos transformar. A inovação ou a motivação para inovar deveria ser algo presente na rotina de toda empresa, de grande, pequeno ou micro negócio.

A dinâmica da sociedade atual, marcada pela evolução constante da tecnologia, acesso rápido e facilitado à informação, globalização, emergência da inserção dos princípios da sustentabilidade na rotina empresarial, entre outros fatores, exige das empresas uma nova postura e a inovação é ferramenta fundamental.

Em um mundo de rápidas mudanças como o que vivemos, mais do que nunca inovar é preciso. Este cenário cria novos comportamentos e há necessidade de adaptação para atender às demandas desta nova realidade, caso contrário empresas que até pouco tempo eram consideradas como casos de sucesso podem se tornar obsoletas.

E esse risco não está exclusivamente ligado às grandes corporações. Você já pensou em como esse cenário pode impactar no seu negócio?

Confira a entrevista com Valter Pieracciani ao Portal HSM e inspire-se. Nela, o diretor-sócio da Pieracciani Desenvolvimento defende que a inovação precisa ser constante para gerar resultados.

Para inserir o conceito de inovação no dia a dia da empresa é preciso entender que inovar não significa comprar um equipamento de última geração. A inovação não é algo novo para sua empresa e sim algo novo para o mercado, seja um produto, uma melhora no atendimento, um aprimoramento no serviço, entre outros fatores ligados à realidade do seu negócio.

Os mais resistentes à inovação podem pensar: “a empresa grande tem mais gente trabalhando e permite que o gestor e os colaboradores pensem com mais tranquilidade, gerando assim um ambiente mais propício para a inovação”. Eu te pergunto mais uma vez, será?

Acredito, primeiramente, que para criar o ambiente adequado para inovação é necessário estimular o perfil inovador, seja na grande, média ou pequena empresa. Nos anos 80, um herói diferente chamava atenção dos telespectadores. Seu nome era Magayver. Com suas engenhocas inovadoras transformava uma caixa de fósforos em uma poderosa arma.

Esse inovador da ficção tinha duas características fundamentais para inovação: conhecimento e ousadia. Eram essas duas forças que potencializavam as suas ações e faziam com que ele superasse as situações mais adversas.

De nada adianta ter conhecimento se ele não é colocado em prática e os gestores precisam estar atentos a isso. É necessário ousar, coragem, não ter medo de colocar a ideia em ação.

O nosso herói em questão via na dificuldade uma oportunidade para inovação, o que é um grande estímulo para o surgimento de novas soluções. Contudo, não se pode ficar preso à possibilidade do risco para poder inovar, é essencial trabalhar com a prevenção. A inovação se configura como um diferencial competitivo, fazendo algo que o mercado ainda não realizou.

É fundamental entender que a inovação não está nas máquinas, e sim nas pessoas. A palavra-chave é capital humano. O ser humano é a peça fundamental para inovação e é a sua capacidade de criação que irá garantir um diferencial, não importando se a empresa é grande ou pequena. Por isso, invista nas pessoas, tenha profissionais competentes como parceiros e estimule a inovação.

E o que vai diferenciar uma empresa de pequeno ou micro porte da de grande porte é o tempo de resposta para inovação. Quanto mais rápido for o tempo de resposta para a execução de uma inovação, melhores serão os resultados. Hoje, mais do que nunca, tempo está relacionado à lucratividade, que é o que toda empresa busca independente do tamanho.

A inovação, na maioria das vezes, está diretamente ligada à redução de custos, à otimização de tempo e à economia de recursos e tudo isso pode e deve ser mensurado em resultados financeiros e crescimento para a sua empresa.

E em um mercado tão globalizado, qualquer redução de custo gerada, se analisada em um cenário de maior escala, pode gerar uma economia gigantesca, pois as margens estão cada vez menores. Você já havia refletido sobre isso? Consegue dimensionar essa realidade dentro da sua empresa? Faça esse exercício.

Diante disso, é necessário criar um ambiente propício para a inovação, estimulando a reflexão de novas ideias. Hoje já existem programas específicos para motivar os colaboradores a inovar. Muitas empresas já premiam as melhores ideias que podem transformar a dia o dia dos negócios.

Sendo assim, valorize e inspire os talentos internos, respeite os colaboradores e saiba potencializar o capital intelectual da sua equipe. Perceba seus trabalhadores como parceiros do seu negócio.

Saia da rotina. Você já ouviu aquele dito popular “em time que está ganhando não se mexe”? Elimine esse pensamento da prática do seu negócio e reflita: é preciso que as coisas deem errado para começar a pensar em melhorias em seus processos?

Usando a analogia de um time de futebol, pense que movimentando a sua equipe, trocando as posições, estimulando jogadas criativas, você pode potencializar o seu ataque, melhorar a sua defesa, maximizar os seus resultados. Enquanto você está parado, o adversário pode estar fazendo uma revolução em campo e pode mudar o resultado da partida.

Ou seja, nós vivemos em um mundo competitivo no qual a concorrência não está parada. O mercado é dinâmico e os concorrentes se estudam entre si, analisam os processos de outras empresas, identificam falhas e buscam por inovações que atraiam os clientes para o próprio negócio.

Sendo assim, é necessário antecipar-se, trabalhar com a prevenção e não apenas nos momentos de dificuldades. É fundamental analisar o mercado e perceber as brechas que demandam por novos processos. Essas brechas, se bem trabalhadas, podem se transformar em nichos de mercado.

Lembre-se que a inovação é como a tecnologia. Ela pode ficar ultrapassada, por isso, deve ser constantemente atualizada. Estimule sua equipe para inovação, não importando o tamanho da sua empresa.

A agilidade no tempo de resposta para inovação é imprescindível. Se uma ideia demorar muito tempo para ser aprovada, corre-se o risco de ela ficar obsoleta, pois o mercado já pode ter colocado algo bem parecido com a sua ideia em prática e o projeto da sua empresa deixa de ser inovação.

A inovação deve estar em todos os cantos da empresa. Engana-se quem pensa que é apenas o alto escalão que tem o poder da inovação. Esse ideal deve perpassar todos os setores, desde o colaborador que serve o café até o presidente da organização. A inovação deve estar no DNA do negócio.

 

Os líderes, nesse caso, devem ser os grandes inspiradores do espírito inovador. O líder precisa ser um espelho para toda a equipe a fim de que todos os colaboradores sintam-se motivados a colaborar.

Tenho percebido que hoje muitas empresas estão reféns das rotinas administrativas e não conseguem criar um ambiente que possibilite a inovação. As mudanças de comportamento da sociedade, conforme abordamos anteriormente, demandam uma adaptação dos gestores para a inovação.

Se você tem uma ideia em mente, acredite nela, coloque-a em prática e faça-a tornar os seus resultados possíveis de serem alcançados. Não é porque nem todos os setores da empresa onde atua não investem na inovação que você não irá inovar. Faça a sua parte e contagie os outros departamentos. Seja também um inspirador da inovação.

A inovação não é resultado de uma única tentativa, bem como não é algo simples. Mas é necessário ousar e ter coragem para mudar. Alguns erros poderão surgir nesse caminhar, mas eles devem servir de aprendizado. Saiba, fundamentalmente, escutar. Compartilhar experiências é um diferencial estratégico.

Vamos inovar juntos:

O capital humano e estímulo à criatividade são as forças motrizes para qualquer processo de inovação, não importando o tamanho da empresa. Inovar é imprescindível em qualquer esfera de atuação e a agilidade no tempo-resposta para execução da inovação é imprescindível para o sucesso de qualquer projeto. Você já havia refletido sobre isso?

Como tem sido essa prática da inovação em sua empresa? As novas ideias ainda são “motivadas” pela caixinha de sugestões ao lado do cafezinho? Você percebe que o mundo hoje cabe dentro de uma sala de dois metros quadrados?

As suas respostas estão diretamente ligadas ao quanto a sua empresa pode inovar, independente do porte que tenha. Compartilhe conosco suas vivências. Vamos inovar juntos. Deixe sua opinião.

Já curtiu a nossa página fã? >> FB/guilhermemachado.blog Acompanhe todas as novidades sobre o mercado imobiliário, empreendedorismo e inovação.

SOBRE O AUTOR

Guilherme Machado Corretor de Imóveis, Palestrante, Coach, Mestrando em Neuromarketing pela FCU - Florida Christian University/EUA. Especialista em vendas, liderança e negociação com certificação pela University of Michigan/EUA. Com mais de 18 anos de vendas, já transformou mais de 1,5 milhões de profissionais no Brasil com seus cursos, vídeos e palestras.

Deixe seu comentário!